Programa de Cursos para Formação em Facilitação de Círculos de Mulheres e Terapia Integrativa Feminina:

Programa de Cursos para Formação em Facilitação de Círculos de Mulheres e Terapia Integrativa Feminina:

Estudos da Mulher e da Feminilidade Sagrada: Psicologia, Antropologia, Arte e Saúde da Mulher

Programa de Formação em Saberes e Práticas Ancestrais e Contemporâneas do Sagrado Feminino – Sabedoria Iniciática Feminina: 

Objetivo do programa:

CÍRCULO DE MULHERES & TERAPIA INTEGRATIVA FEMININA

Facilitação/Focalização e Instrução de Círculos Femininos e Terapia Integrativa para Mulher:  

Este programa tem o objetivo de capacitar e especializar mulheres que trabalham ou desejam trabalhar nas diversas áreas como educação, saúde, antropologia, psicologia, cultura, arte e espiritualidade (sem foco religioso), tanto nos mais amplos setores privados, públicos, sociais, governamentais e, ou não-governamentais, ou particular, ajudando outras mulheres  para, principalmente, promover saúde física e psíquica, empoderamento social, econômico e, principalmente autodesenvolvimento, despertar  desenvolvimento e realização de círculos femininos ou projetos entre as mulheres no Brasil e, possivelmente, em toda a América. O conhecimento e a prática também objetiva, principalmente, a valorização da mulher, do feminino, da feminilidade, assim como capacitação das mulheres para formarem grupos ou círculos e trabalharem juntas na realização, através da percepção da feminilidade, de programas para o progresso da sociedade e estabelecimento de uma cultura mais harmônica, sustentável, livre para uma evolução contínua.

A Sabedoria Sagrada Feminina: 

Relaciona-se a todo o conhecimento experiência relativo a vida integral da mulher liberta e sagrada; ou seja a mulher conectada ou reconectada a sua feminilidade essencial, seu poder interior; a mulher integrada a Terra, a natureza, ao cosmos e as outras diversas dimensões da vida e além do plano físico. Os Saberes Ancestrais Sagrados ou Divinos Femininos estão relacionados a reconexão e reintegração da mulher a sua Essência Iluminada Feminina, o seu poder-sabedoria interior, chamado de Shakti ou Qoya Auset, Cy (1).

Estes Saberes promovem O Caminho Sagrado ou Divino Feminino (Sacralidade Feminina) para o despertar da Mulher;  o Caminho da Mulher Iluminada:  saberes e práticas de reconhecimento e uso do Poder Essencial das mulheres para seu Despertar Pleno: Shakti Vidya / Qoya Yachay  (TheaSophia/ Thealogia -Saberes do Divino Feminino )

Parte deste processo, na psicologia  contemporânea é chamado de Jornada da heroína. Mas chamamos de Caminho da Feminilidade Divina, pois engloba sabres ainda mais sutis.

A verdadeira harmonia física, psíquica e espiritual da mulher é possível através do reconhecimento do seu Poder-Sabedoria Sagrado (ou chamado de Poder ‘Interior’ – Shakti) de atração ou recepção (e também intermediação-união) da Vontade (propósito) interior (e superior) e o poder de ‘geração’ da Consciência Suprema. O Poder Interior é a orientação inteligente da energia-força básica ou essencial e vital que, nas mulheres, já está presente, mas não é reconhecida ou ativada.  Isso acontece também devido a ‘alterações’ (desintonia) do corpo físico e sutil – corpo etérico ou sensível e corpo astral ou emocional – da mulher em nossa civilização. Este poder não precisa ser ‘despertado’ na mulher, pois já é a essência da mulher, mas deve ser reintegrado para que a consciência plena seja gerada. A Sabedoria Sagrada (nativa, original) Feminina, é uma Tradição Sagrada Feminina, guardiã destes conhecimento que torna o caminho bem mais rápido e eficiente para o grande despertar da mulher. (2)

Estes Saberes é um conjunto conhecimentos, métodos, técnicas que objetivam a harmonia, a cura e a autoconsciência e autorealização da mulher, através da conexão, integração e identificação com a Essência pura, a verdadeira feminilidade em todos os seus aspectos.

Este programa de AUTOCONSCIÊNCIA E AUTOREALIZAÇÃO é um processo gradual, mas muito mais rápido para as mulheres do que os demais métodos de autorealização propostos por todas as sabedorias e filosofias conhecidas que se focavam, principalmente, na libertação e iluminação principalmente de homens. (3)

O Programa Saberes Ancestrais Feminino; a Sabedoria Sagrada Feminina é uma reestruturação desta Sabedoria ou Tradição Sagrada Feminina para ser adequada a vida das mulheres na atualidade, porém sem perder sua base.

O processo Shakti Vidya envolve a realização de práticas especiais para transformações corporais-energéticas-psíquicas que objetivam purificação, harmonização, ativação dos corpos físicos até os mais sutis indo de um processo interno para uma realização mais ampla num nível planetário e cósmico. Com isso ativamos o fogo ou poder interno ou sagrado, reconectando à Terra no plano físico e aos planos mais sutis, integrando as forças superiores e cósmicas ou poderes de cada grupo específico de Shaktis para despertar a consciência plenamente (também nos outros planos sutis).

Mas além e para que isso seja efetivo é necessário entender qual a base do processo esta na reprogramação e ampliação de nossa percepção. O trabalho ou ‘obra’ básica é expandimos nosso ‘canal de luz’ que liga ao nosso Eu Interior (a alma) e ao Eu Cósmico (ao Espírito Supremo, Mônada). A reintegração a feminilidade sagrada, a shakti, em todos os seus aspectos, é a base, a fundação para este processo, do começo ao fim.

A feminilidade sagrada é uma expressão natural da mulher, é o caminho, a ponte para o despertar também da masculinidade sagrada e assim a geração da ‘androgenidade’ sagrada (a harmonia entre o princípio feminino e masculino) presente na Consciência Superior Plena (o resultado, o filho – não apenas ao pé da letra…..)

“A Shakti (Auset ou Qoya), é o verdadeiro poder-sabedoria da mulher, sua real essência tanto na vida material, como espiritual, para despertar da consciência e realização plena.”

Escopos:

> Este curso, além da psicologia profunda e espiritualidade da mulher, também explora tópicos tais como os papéis de gênero, feminismo, sexismo, sexualidade, feminilidade, relacionamento, variáveis de personalidade, habilidades cognitivas, a educação, o emprego, o empreendedorismo feminino, educação transdisciplinar de meninas e mulheres, a violência contra as mulheres, sua saúde física e psicomental, sua arte, sua história, seus direitos, seus valores, mas principalmente o despertar da essência sagrada feminina, que é a base para todas as transformações e progressos.

Desta forma,  a missão deste curso é capacitar e empoderar as mulheres para a criação, implementação e sustentabilidade de círculos femininos, projetos e programas (sociais, educacionais, etc) que possam assegurar tais finalidades descritas acima, adequando aos programas de desenvolvimento de valores e responsabilidades socio-educacionais.

A prática:

há série de práticas de meditações, movimentos corporais (baseados em danças sagradas ancestrais (4), sintonizações integrativas, também uso de plantas, cristais, formas-códigos vibracionais etc que acessam diretamente aspectos internos, que possivelmente promovem um estado natural de saúde, harmonia e bem estar. Mas, principalmente, leva a sintonia com todos níveis até os mais superiores de nosso ‘Eu’ transformando a energia essencial e vital em poder mental e, depois, espiritual – o poder da consciência; o poder que desperta, anima e ilumina a consciência .

Escopo Geral:

Este programa abrange uma área muito interessante e necessária de estudo, pesquisa e trabalho que alem de examinar a mulher nas culturas ancestrais, seus mitos e tradições, a educação de meninas e mulheres, também examina o ‘feminino’, a ‘feminilidade’. Este estudo se dá a partir de uma perspectiva interdisciplinar com foco no gênero feminino, em sua complexa relação a diversas questões da vida, pessoal, profissional, social, relacional de mulheres, contemplando diversas etnias, para criação de soluções a determinados problemas ainda enfrentados por elas e também para criar uma consciência de melhoria contínua. Este curso é excelente capacitação e especialização para o trabalho, principalmente no terceiro setor em campos profissionais e áreas como Educação, Educação Inter e Transdisciplinar, Psicologia, Psicopedagogia, Direito, Serviço Social e Jornalismo, História, Cultura, Sociologia como Antropologia e Psicoantropologia e espiritualidade feminina.

(Obs: quando designamos ‘Mulher’ aqui, contemplamos as mulheres de todas as etnias, classes sociais, idades, religião e orientação sexual!)

*Obs: Curso de Formação, sendo o Certificado Final emitido pelo NUMIN como “Curso de Formação ”

Este curso é uma reformatação (para se transformar em Formação mais avançada) do curso de pós graduação Latu-sensu, nível especialização, intitulado “Educação, Gênero e Estudos da Mulher e da Feminilidade” Autorizado e reconhecido pelo MEC, através de parceria do NUMIN com a Faculdade MaxPlanck (Pós graduação reconhecida pelo MEC através do Credenciamento MAX PLANCK-MEC: Portaria MEC n° 318 de 31/01/2002 publicada no DOU de 04/02/2002).

ASSUNTOS A SEREM TRABALHADAS NO PROGRAMA completo:

Assuntos Curriculares:  

(Aqui estão apenas os assuntos mais detalhadas das quais constituem os módulos e níveis – ver esses módulos e os níveis logo após os assuntos curriculares)

  > Psicologia e Sabedoria Sagrada da Mulher –  Psicoantropologia (aprox. 25% EAD)

        . Sabedoria Psico-Espiritual Feminina I:

             – Antropologia Teasófica Feminina – Saberes Femininos ancestrais e perenes – Shakti, Qoya, Cy, Auset

              – O Feminino, A Feminilidade e a A Mulher e a Polaridade Feminino X Masculino e afins

         – Reconhecendo, Reconectando e Reintegrando os arquétipos femininos: ‘Espiritualidade’ Feminina

          . Psicoantropologia da Mulher I:

             – O Processo de Individuação Feminina: o Caminho ou Jornada da Sacerdotisa (inlcuindo a jornada da ‘heróina’), ou melhor, da ‘mulher divina’

                – A mulher na mitologia, contos de fada e na mídia contemporânea

                – Arquétipos e Símbolos do Feminino (Arquétipos e subarpectos das Shaktis)

                –  Amor, relacionamento e sexualidade feminina

           . Antropologia da Mulher :

                –  O Movimento do Sagrado ou Divino Feminino no mundo e no Brasil

       – A mulher como curadora, mentora e sacerdotisa nas diversas culturas desde os tempos remotos

             – A mulher, a amizade e cooperativismo feminino – as fraternidades e a confraternidade feminina

           – Questões Complementares: Violência a Mulher, Qualidade de Vida da mulher, Trabalho e Empregabilidade,

  >  A Mulher na Sociedade e cultura: A Mulher e o feminino na História e na Sociedade (aprox. 25% EAD)

   1. A polaridade feminino X masculino; o gênero feminino e a integração harmoniosa entre os gêneros

  2. História da mulher e do feminino nas diversas culturas, nas religiões, na filosofia no mundo patriarcal – mulheres e tradições culturais

    3. A mulher como guardiã de seu corpo, alma e fruto (Segurança e Prevenção)

> Saúde da Mulher: Corpo e Ciclos Femininos (Terapia para Mulher – Mulheres Medicina) (aprox. 50% EAD) –

           1. Anatomia e Fisiologia da Mulher

         2. Ciclos Femininos: Ciclo Menstrual; Gestação, Parto, Puerpério e Amamentação; Climatério e Menopausa – Infância, Adolescência, Juventude, Adulta, Senescência

        3. Principais Patologias Biopsíquicas envolvidas nos ciclos de vida da mulher e transtornos psicomentais relacionadas aos ciclos

         4. Questões Complementares:  Planejamento da vida reprodutiva e na prevenção de doenças

        5. A natureza, a mente e corpo na prevenção dos distúrbios femininos: (teoria e prática para atendimentos individuais e grupos)

   Shakti Terapia (ou Shakti Healing) (teoria e prática)

    – fitoterapia (Métodos terapeuticos usando plantas e ervas), florais e dietoterapia para mulheres,

       – práticas meditativas terapêuticas para mulheres,

        – práticas específicas da Shakti Terapia

– Educação e Liderança Feminina – Círculos de Mulheres (70% EAD)

             1- Educação da Mulher e de Meninas para o desenvolvimento sócio-cultural, ecológico e familiar, e psico-espiritual (Refletindo tbem Feminismo X Feminilidade)

             2- Liderança feminina: A mulher e o feminino (aspectos psicoantropológicos) na Criação, Condução e Mentoria de Círculos de Mulheres

      – Práticas dos Círculos, Estudos Femininos e Projetos para mulheres: (25% EAD)

            1- Criação e Estruturação de Projetos Psico-Educacionais para mulheres para realização de projetos sociais, psico-espirituais e terapêuticos (Círculos Sagrados de Mulheres e atendimentos individuais) –

              2. Oficinas de Arte-terapia-educacao feminina:

– mitos, contos,

– dança integrativa feminina, arte integrativa, (Shakti Natya ou Shakti Yoga Dance > ver: dance.shakti.org.br) I e II – (inclui – treinamento integrativo (baseado no Yoga, Chi Kung e outras práticas orientais e também ocidentais e Shakti Yoga)

– práticas meditativas femininas individuais e coletivas I e II

– práticas contemplativas e cerimoniais femininas coletivas I

                          Práticas I: Práticas de Purificação do ventre

                          Práticas II: . Práticas de Reconexão do feminino essencial – Shakti, Qoya, Cy, Auset,

                       Práticas III:  Práticas de Reintegração e Identificação do Feminino Sagrado ou Divino Feminino

*(ver mais abaixo Metodologias Práticas)

> Para as Certificações de Formação, de Aperfeiçoamento, o Avançado: – Concretizando o processo (sendo 1, 2 e 4  100% EAD)

1. Metodologia da Pesquisa e da Produção Científica

2. Trabalho de Conclusão de Curso

3. Projeto de trabalho

3. Estágio

4. Supervisão do estágio,

ATENÇÃO: Abaixo encontra-se os módulos e os níveis, cada módulo tem um certificado próprio, porém cada nível tem a certificação correspondente ao nível, assim, para obte-la é necessário realizar todos os módulos daquele nível  (acima) necessários a determinado nível. Para a certificação completa é necessário o último ítem das Temáticas descritas acima. Porém, também é possível realizar os módulos independentemente.

– Estrutura do Programa Completo:

Programa completo de Cursos compreendem os seguintes Ramos de Conhecimento e Práticas – Caminho Sagrado Feminino. Estes Ramos foram formatados em módulos, que formam os níveis do programa:

(Os assuntos listados acima estão divididos entre os 8 Ramos de Saberes e Práticas)

RAMOS DE SABERES E PRÁTICAS 

Os 8 +1 Métodos / Ferramentas, Ramos de Conhecimento e Práticas do Shakti Vidya / Qoya Yachay (Saberes e Práticas do Sagrado Feminino):

> SENHORA GUIA – Senhora Adamantina /ou da Presença (indestrutível) (Qoya Illa – Shakti Vajra Yoga): Saberes de Nível basico e avançado sobre a Sabedoria Iniciática Feminina e Práticas meditativas, contemplativas e afins – integrando o poder ‘divino’ ou da consciência através de práticas meditativas ‘de energia’ e de ‘plena atenção’) –  (com meditações mais avançadas)  (Com a Consagração de Shakti – Consagração do Ventre: Willkachay) (Níveis I a V) –  (ver os Cursos/ Módulos relacionados aqui: http://sagradofeminino.saberes.org.br/shakti-consagracao-shakti-abhiseka/)

> SENHORA DA NATUREZA (Qoya Pacha – Shakti Prakrit): Saberes e Práticas para reconexão com a Mãe Natureza: Plantas, Pedras, Toten Animais e Locais de Poder –  e todo seu poder de cura e realização  – (Níveis II e III) : (ver os Cursos/Módulos relacionados aqui: SENHORA NATUREZA: A Magia e Poder das Ervas, Plantas, Pedras, Totens Animais e Locais de Poder: http://sagradofeminino.saberes.org.br/curso-senhora-natureza/)

. Senhora das Ervas/Plantas (Qoya Kamay Yura – Shakti Oshadhi):  – Utilizando o poder das ervas, especiarias, frutos, arvores, flores,  como incensos, perfumes, na terapia e também na alimentação e cura física e sutil  –   

. Senhora das Pedras (Qoya Rumi – Shakti Ratna) –  utilizando o poder dos cristais, pedras – 

. Senhora dos Animais (Qoya Uywa – Shakti Pashu) – Utilizando o Poder dos Totens Animais – Animais de Poder –

. Senhora do Templo Natural/Lugar Sagrado (Qoya Qhapana (Huaca) – Shakti Peethas)  – Lugares de poder # cura, proteção, realizações de cura, espirituais e propósitos superiores –  

> A SENHORA DA ARTE (ou Senhora da Arte) – Arte Integrativa Feminina – Dança-Teatro-Músical + Artes Visuais como “Arte-Terapia-feminina”  (Qoya Tusuy – Shakti Natya) (Shakti Yoga Dance) – integrando o poder interior através da dança e movimento, inclui performances arte-terapeuticas – Dança Integrativa Feminina (com Cantos – Qoya Taki: Expressando), Dança-Teatro (com teatralidade: Vivenciando), (com as esculturas:  formando) –  posturas e movimentos bio-energéticos – matrizes de movimento de danças ancestrais femininas, Yoga Dance ou Shakti Dance, a verdadeira Yoga Dance Feminina – inclui cantos, músicas para uma dança poética, teatralidade para a vivência com os arquétipos e no avançado a experimentação da forma com os trabalhos com argila) – (Nível I a III)

> A SENHORA do caminho DA VISÃO – Senhora do Oráculo – Oráculo dos aspectos ou arquetipos de Shakti/Qoya para autoconhecimento e autodesenvolvimento (Qoya (Willaq) Umu – Shakti Devivani (ou Devivani))  – Jornada da Rainha-Sacerdotisa e Arquétipos da Shakti-Qoya + Oráculo referente a esta jornada e seus arquétipos correspondentes. Detalhando a Jornada da Heroína e da Rainha-Sacerdotisa e Arquétipos da Shakti-Qoya + Oráculo Shakti-Qoya) (este oráculo é o original Oráculo da Shakti – é bem ancestral e usado apenas pelas participantes deste programa do Caminho Sagrado Feminino) – (Nível I ) 

> A SENHORA DO SAGRADO – Sintonizações Femininas (Teurgia Feminina) (Qoya Willka Yachay – Shakti Gupta Vidya (ou Guhya) – Integração do poder ‘divino’ ou da consciência e conhecimentos mais avançados do Shakti Vidya –  Guya ou Gupta significa protegido, secreto etc – Teurgia é uma prática cerimonial sagrada de sintonia com potências de Alta hierarquia, neste caso, as Shaktis / Qoya Iluminadas – Arquétipos Originais do Divino Feminino) – Teurgia Feminina: práticas contemplativas cerimoniais femininas coletivas para multiplicação/reativação de propósitos superiores e de Cura – inclui Reativação aos Locais de Poder para sustentação e fortalecimento da egregora do Divino Feminino profundo, criador, mantenedor e transformador, a força de Shakti /Qoya. (

> A SENHORA DAS ESTRELAS (Qoya Qoyllur – Shakti Jyotsi) – Mapeamento biopsíquico e espiritual feminino   – identificação dos aspectos ou arquétipos das Shaktis – aspectos primordiais femininos   – no mapa natal e o melhor momento para amplificar os efeitos das práticas) para autoconhecimento, autodesenvolvimento e saúde e harmonização com os Astros (sintonizando com os transitos planetários e estelares),numerologia sagrada feminina e outros métodos de mapeamento –

>  A SACERDOTISA (Qoya Pascsa Karpay – ShaktiAti – ShaktiDiksha (Dikshakti) Iniciação do feminino essencial – Iniciação espiritual através do poder ‘divino’ – iniciação feminina – Iniciação e Nomeação Qoya/Shakti –

Integrando:

> A SENHORA DA CURA (Qoya Hampiy – Shakti Chikitsa Vidya) – Terapia Integrativa profunda Feminina  – (Shakti Terapia ou Shakti Healing): Integra todos os Ramos /Ferramentas com o foco na cura, para a saúde integral. Cura e bem estar através do poder ‘divino’ ou da consciência: Taumaturgia Feminina ou Terapia Integrativa avançada Feminina (Theaterapia): Métodos: Shakti Pranagni Chikitsa – terapia através de reequilíbrio de energia vital pela imposição de mãos, mantra, cores etc.  Shakti Prakrit Chikitsa (ver acima SN – terapia através do poder das ervas e especiarias também na alimentação  – aqui inclui o Shakti Amrita Chikitsa – uso de elixiris vibracionais dos próprios aspectos energéticos das Shaktis/Qoya.Shakti Vajra Chikitsa – Meditações, visualizações, contemplações, decretos, comandos, e análise e síntese pela psicologia profunda e sabedoria profunda ancestral. Inclui Círculo de Cura.   Inclui  Shakti Ananda – Iniciação para ser canal de cura ‘Bem Aventurança’ -(SCI)) –  

SÍNTESE:

O CÍRCULO SAGRADO FEMININO (Qoya Ayllu – Shakti Mandala) –  Círculo Shakti /Qoya – círculo feminino de autointegração, autorealização econfraternidade feminina) – Encontros de mulheres como um Círculo de estudos e práticas que incluem todos os conhecimentos ou ramos/ferramentas do Saberes Sagrado Feminino Shakti Vidya / Qoya Yachay – Saberes, Treinamentos e práticas, além de reflexões com todas as mulheres da ‘shakti sanga’ (a ‘fraternidade’ de mulheres praticantes). Há os círculo formado pelas multiplicadoras facilitadoras com supervisão  (as mulheres estudantes e praticantes do Shakti Vidya / Qoya Yachay  (o Círculo avançado refere-se as praticantes que já fizeram iniciação ShaktiAti / Shaktidiksha – Qoya Karpay) –

Estrutura da Formação

Níveis da Formação:

Cada módulo pode ser realizado independente (mas com pré-requisito no SG1) e por isso, tem um certificado cada. Há módulos que tem mais de 1 nível.

Módulos:

(ver os detalhes dos módulos dentro de cada Ramo de Conhecimento dos Saberes e Práticas Caminho Sagrado Feminino)

>><<<

 

Para mais informações: 

Turmas 2018 – Programa Formação Sagrado Feminino 2018:

Para mais informações: LIGUE ou escreva pelo whats:  (11) 94363.8160 (vivo –  whats),  (email: info@shakti.org.br)

Formação através da Mentoria Profissional: http://qoya.shakti.org.br/saberes-ancestrais-sagrados-femininos/mentoria-integrativa-feminina/ 

>>>>ANEXOS:

*Metodologias práticas:

Práticas Integrativas Femininas: Reflexões, Práticas Meditativas e Dança Integrativa Feminina – Consciência e Expressividade Corpo-Psiquê Feminina 

Reconexão, Integração e Expressão Feminina

A Dança Integrativa Feminina:

A Arte e, principalmente, a dança é uma principais formas de acessar, reconectar diretamente a essência feminina.

Feminilidade Essencial da mulher pode ser resgatada através de movimentos que originam da essência criativa, receptiva, acolhedora e integradora da mulher, de seu ventre, que emerge de seu corpo, nutre, transforma, curando, conscientizando, trazendo, do interior o propósito, o amor, a consciência. Também deixa vir à superfície de nosso ser tudo que foi de reprimido dessa poderosa força que ficou adormecida em nosso inconsciente.

Um corpo que se move libera a Alma e ascende! A Dança, o movimento expressivo, criativo é o caminho para libertar a Alma e colocá-la na liderança!

O objetivo
é reencontrar o espaço, o tempo e a experiência sagrada interna e externa da mulher. Os movimentos expressivos, as práticas de respiração, reflexão e meditativas permitem, através do físico, do sensível, do emocional e mental, um contato profundo consigo mesma. Como experiência ‘exterior’ tem-se a oportunidade de conectar com suas ‘comadres’, trocando idéias, experiências, sabedorias e a oportunidade de redespertar, de dentro pra fora, a essência sagrada, integrada feminina.

A Dança Integrativa Feminina é constituída dos exercícios trabalhados no Movimento Integrativo – incluindo Meditação, mais os movimentos expressivos, fluídicos femininos baseados nas matrizes das danças ancestrais femininas (Danças Árabes Femininas – Dança do Ventre; a Dança Indiana; a Dança Flamenca, Danças Ciganas e as Danças Brasileiras. Estas danças e outras têm suas origens em tempos remotos, quando não havia separação entre arte e espiritualidade), dança étnica contemporânea feminina, as técnicas expressivas somáticas perenes e contemporâneas (dança-teatro oriental e ocidental) aliadas as práticas meditativas femininas favorecem a autoconsciência (corporal, psíquica e mental), a identificação da beleza interna e externa feminina e o contato com nosso ventre e seu poder criativo, receptivo, nutridor e transformador, reconexão com a mãe terra e a polaridade feminina universal e cósmica. Inclui técnicas meditativas de despertar e cura / visualização diretiva, imaginação ativa, mantras e sons, visualizações de despertar e cura com o objetivo de reconectar a mulher ao corpo, essência feminina – feminilidade essencial.

Dança Integrativa Feminina ou Dança Integrativa Circular Feminina é também Shakti Natya (ou Shakti Yoga Dance), porém significando Shakti Mandala Natya. Sendo Shakti, uma palavra sanscrita que significa é o principio feminino individual ou pessoal, planetário, universal e cósmico. Yoga significa junção, união, integração e Natya arte e expressão corporal, cênica, teatro e, principalmente dança sagrada, Mandala significa circular, porém a dança feminina ascestral, por si só, era circular tridimensional, esférica. A mandala é o símbolo da integração, integração com o seu centro, ou centro origem de tudo, a totalidade, é o símbolo da harmonia, estética, sacralidade. Assim, está prática reconecta (resgata) a mulher a sua feminilidade, ao princípio ou essência de amor, união, receptividade, generosidade, alegria, beleza, harmonia, sabedoria, paz e plenitude.

Entre os benefícios gerais ou efeitos está a flexibilidade física, mental e psíquica, alinhamento postural, consciência corporal e mental (semi-estática* e em movimento), fluidez, coordenação, fortalecimento, resistência,equilíbrio psico-físico, percepção sensorial, criatividade, expressividade, autoestima (autoaceitação), relaxamento pro-ativo, modelagem ou remodelagem ao corpo feminino, integração pessoal e social e muitos outros.

As práticas integrativas femininas constituem são base dos Saberes Sagrados e Ancestrais Femininos:

Programa Caminho Sagrado Feminino que compreendem métodos específicos (corporais, psíquicas e mentais, espirituais) para mulheres reconhecerem, verdadeiramente, sua essência feminina, sua sacralidade, sua feminilidade iluminada, acelerando o despertar pleno da consciência.

Assim, parte das metas, ou seja no nível pessoal ou corporal da mulher, é o  reequilibrio do ciclo hormonal-psíquico (de lunar à venusiano), purificando e reconectando a energia-poder-força ovariana e uterina (transformação da energia essencial em vital e poder mental e consciente), reintegra o poder do coração (da Alma) e do olho interno (chakra frontal e pituitária ) e A integração pelna da consciência.

Tais práticas devem realinhar, harmonizar, produzir rejuvenescimento, saúde corporal, sexual, emocional e mental, mas a prioridade é a reconexão com a Terra e com o Cósmos, com o nosso propósito superior tanto no nível pessoal como coletivo.

Com isso O CAMINHO SAGRADO FEMININO, ou Caminho da Feminilidade Divina também tem como metas:

. Reconectar a mulher à Terra, as suas origens e aos planos sutis (outros planos dimensionais) para que ela possa voltar a ser ‘porta voz’ e ‘plasmadora’ dos propósitos superiores de renovação, redimensionamento da Terra e de todos os seus seres,

. Harmonizar e ativar a ‘vibração’ em determinados lugares e, ou por toda a terra (dependendo da orientação da prática) para ajudar a desbloquear a energia criativa, geradora, plasmadora, ancoradora destes lugares (e com as pessoas que ali se encontram). Isto significa também ‘abrir’ ou ‘reconectar’ (reativar) determinados ‘pontos’ da terra que proporcionam nossa relação direta com as Sabedorias e Poderes necessários a realização das missões / propósitos e obras para a formação deste novo ciclo de evolução.

. Integrar a ‘feminilidade sagrada’ (a Shakti em todas os seus aspectos – o poder superior) para se unir e impulsionar a ‘masculinidade sagrada’ (a vontade-propósito superior), ancorarando a nova Consciência (superior) deste novo ciclo evolucional: que une o princípio feminino ao princípio masculino em toda sua luz.

As mulheres possuem útero, ovário, hormônios (glândulas endócrinas) e taxas hormonais (diferentes dos homens) que são as manifestações (visíveis) de uma energia (poder) num nível bem mais sutil (que também é difere da dos homens). Esta energia-poder é como uma sabedoria própria, essencial, presente (porém ‘esquecida’) nas mulheres. Tal energia-poder-força só existe em latência e é muito inconsciente no homem.  Essa energia-poder-sabedoria foram ocultadas e reprimidas com o advento desta civilização atual (mais de 12000 anos),  que teve a necessidade de trabalhar a racionalidade, a inteligência concreta, o ego, ou seja o masculino. Os motivos por esta ocultação está relacionado ao fim da civilização anterior a nossa (a civilização Atlante). Porém, agora, com o florescer de um novo ciclo, onde a mente abstrata ou de síntese deve ser o foco no desenvolvimento coletivo, vários destes conhecimentos estão sendo abertos e reorientados para acelerar este processo de autoconsciência, tanto das mulheres, como para que elas possam também ativar a freqüência ou vibração adequada e ancorar a sabedoria necessária para este momento evolutivo em toda a Terra.

Caminho Sagrado Feminino é constituído de 4 etapas cíclicas:

As Etapas (objetivos):

– PURIFICAÇÃO:

. Reconhecendo a própria feminilidade, a conexão com a Terra, com a Natureza, com o próprio ventre

. Descondicionamento, libertando-se do convencionalismo

. Purificação do ventre (útero) (harmonização principalmente dos níveis físico, etérico, astral)- em conjunto com:

. Reintegração da potencia LUNAR / e Ceres (Kamasqa (inici:Kurak Akulliq)) (Guardiã)

. Reconexão com a Senhora Natureza

– RECONEXÃO:

. Reconexão com nossa Alma (Iniciando Nossa Guia Interior – Shakti Guia ou Atma Shakti) – reconexão ventre – coração (harmonização principalmente dos níveis físico, etérico, astral, mental) – em conjunto com:

. Reconexão com a potência TERRENA (Nusta)

> ReConsagração à Sacralidade Feminina – Consagração Shakti Guia – Reconectando-se o Caminho Sagrado Feminino – A  Alquimia feminina Respiração Ovariana e Uterina (respiração alkimica feminina – kundalini shakti yoga) para reintegração de Kundalini Shakti

– REINTEGRAÇÃO:

. Reintegração  coração – olho interno (pituitária). Reintegração completa com nosso Poder Interior (Integração completa com nossa Shakti Guia ou Atma Shakti):  Poder de integração ou  despertar da consciência   – em conjunto com:

. Reintegração com a potência VENUSIANA (Qoya)

. Reconexão,  Realinhamento e Reativação do seu Lugar de Poder (Paqarina)

Esta prática também integrada o processo Educação Integrativa Feminina. (Educação aqui é o sentido original do termo vindo do grego ‘educere’, de trazer pra fora, tirar ou fazer emergir de dentro para fora, ou seja, o sentido da conscientização, de se conscientizar de algo que já é sabido em seu interior, apenas ‘esquecido’.)

– IDENTIFICAÇÃO e Multiplicação:

.  Identificação com a potência Iluminada (e outras potências planetárias e estelares feminina – Simbolicamente chamada de potência PLEIADEANA) – (Collari) (Sacerdotisa)

. Alinhamento e Ativação de determinados Lugares de Poder e Iniciações (Miskayani) 

* O corpo está em movimento constante mesmo quando estamos parados, pois milhares de micromovimentos internos estão constantemente fluindo mesmo ao dormirmos, mesmo em coma. Assim a vida é movimento, movimento é vida e saber se movimentar é saber viver! Pela Sabedoria Oriental, O Princípio feminino cósmico é substância, é movimento, é a vida manifesta, é o corpo, é o movimento do corpo, o movimento de vida, é a dança, é a dança do cosmos, é a dança da vida!

……..

(1) Usamos a palavra Shakti (palavra milenar em sanscrito) que é a Essência Feminina Original, Arquetipal, é literalmente o Poder Supremo – o Poder da ‘Consciência’ (Poder espiritual, absoluto). É a polaridade feminina da Unidade e da Totalidade. Assim como Auset no Egito (depois significando Ísis) Qoya é a Rainha Divina dos antigos pré- Incas, corresponde a sacerdotisa de altíssimo nível e Cy, entre os povos pré-Tupis no Brasil pré-descobrimento.

(2) Estes Saberes que promovem o O Caminho Sagrado ou Divino Feminino ou da Feminilidade Divina é chamado de SHAKTI VIDYA (na linguagem sanscrita/Índia) ou Qoya Yashay/Munay (Andino) ou Theasofia, theasophia – que inclui a tealogia ou thealogia (grego). Estes  são alguns dos nomes da sabedoria das grandes sacerdotisas (Mahashaktis) e xamãs sobre essência do despertar do poder e consciência plena feminina ou do feminino sagrado, liberto, iluminado, A Sacralidade Feminina. Esta Sabedoria era ‘guardada’ por verdadeiras sacerdotisas, shamas (xamas, pajes), algumas vezes chamadas de ‘bruxas’, em diversas regiões do planeta como no norte da Índia, Sibéria, antiga Anatólia, Egito e  até mesmo nas Américas. Em alguns lugares, com o tempo, foi se perdendo a base desta sabedoria por ter que se manter tanto segredo, mas ainda é possível se conhecer alguns resquícios dela. Outras regiões, mantiveram grupos muito restritos de mulheres que conseguiram manter vivas, mesmo que escondidas, tal conhecimento. Somente agora, com o início de um novo ciclo, em que Consciências Superiores devem ser ‘ancoradas’ na Terra para o despertar de, pelo menos, um ‘quantum’ da Humanidade para ser possível um novo e mais consciente ciclo, é que esta sabedoria deve ser ‘aberta’.

Esta sabedoria também chamada de sabedoria iniciática ou tradição iniciática feminina estava ‘escondida’  desde o final de uma grande civilização anterior a nossa, a civilização Atlante, mas que vem sendo e deve ser Revelanda em seus segredos e mistérios sobre o verdadeiro despertar espiritual da mulher, que inclui os segredos sobre os corpos físico, etérico, astral e mental inferior e superior da mulher, assim como realinha-los e reintegra-los para o despertar da consciência plena na mulher.

(3) Isso tem uma explicação, pois faz parte dos segredos escondidos pelas sacerdotisas iniciadas na Grande Sabedoria das ‘Deusas’ (Deusa é melhor entendido aqui como Shakti – O Princípio ou Arquétipo Feminino, o poder-sabedoria superior interior).

Para Formação – 2o semestre 2018 – ver: Mentoria Integrativa Feminina – Profissional (Formação) : http://qoya.shakti.org.br/saberes-ancestrais-sagrados-femininos/mentoria-integrativa-feminina/ 

http://qoya.shakti.org.br/saberes-ancestrais-sagrados-femininos/

Para mais informações, entre em contato:   Whatsapp: (11) 94363.8160 (vivo –  whats)