Caminho Sagrado Feminino – Programa de Práticas dos Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas – QOYA MUNAY NAN

Caminho Sagrado Feminino – QOYA MUNAY NAN é o Programa de práticas dos  Saberes Ancestrais e Práticas Integrativas Femininas – QOYA MUNAY

saberes ancestrais femininosA Sabedoria Feminina Perene – QOYA MUNAY – :A Feminilidade Essencial da mulher pode ser resgatada através de movimentos que originam da essência criativa, receptiva, acolhedora e integradora da mulher, de seu ventre, que emerge de seu corpo, nutre, transforma, curando, conscientizando, trazendo, do interior o propósito, o amor, a consciência. Também deixa vir à superfície de nosso ser tudo que foi de reprimido dessa poderosa força que ficou adormecida em nosso inconsciente.O Programa Caminho Sagrado Feminino – QOYA MUNAY NAN é o programa prático da Sabedoria Ancestral Sagrada Feminina que compreendem métodos específicos (corporais, psíquicas e mentais, espirituais) para mulheres reconhecerem, verdadeiramente, sua essência feminina, sua sacralidade, sua feminilidade iluminada, acelerando o despertar pleno da consciência.

Programa Caminho Sagrado Feminino – QOYA MUNAY NAN é constituído de Reflexões, Práticas Meditativas e a Dança Integrativa Feminina como Consciência e Expressividade Corpo-Psiquê Feminina  – Reconexão, Integração e Expressão Feminina A Arte e, principalmente, a dança é uma principais formas de acessar, reconectar diretamente a essência feminina.

O objetivo:
Reencontrar o espaço, o tempo e a experiência sagrada interna e externa da mulher. Os movimentos expressivos, as práticas de respiração, reflexão e meditativas permitem, através do físico, do sensível, do emocional e mental, um contato profundo consigo mesma. Como experiência ‘exterior’ tem-se a oportunidade de conectar com suas ‘comadres’, trocando idéias, experiências, sabedorias e a oportunidade de redespertar, de dentro pra fora, a essência sagrada, integrada feminina.Um corpo que se move libera a Alma e ascende!

A Dança, o movimento expressivo, criativo é o caminho para libertar a Alma e colocá-la na liderança! A Dança Integrativa Feminina é também Shakti Yoga ou Shakti Natya (da índia ancestral – ver os significados abaixo)  ou Qoya Tusuy (dos antecendentes Incas) e por isso constituí de práticas psico-físicas como movimentos expressivos, fluídicos e criativos femininos baseados nas matrizes das danças ancestrais femininas (Danças Árabes Femininas; a Dança Indiana; a Dança Flamenca, Danças Ciganas – de diversas etnias como espanhola, russa, turca, india, romena, árabe etc -, as Danças Brasileiras étnicas e afins) Estas danças têm suas origens em tempos remotos, quando não havia separação entre vida, arte e espiritualidade. Além desta base, também utiliza de práticas da dança étnica contemporânea feminina, as técnicas expressivas somáticas perenes e contemporâneas (como a dança-teatro oriental e ocidental) aliadas as práticas orientais integrativas perenes (yoga, Chi Kung, Kun Nye e afins) incluindo outras específicas para mulheres como as práticas meditativas femininas, que favorecem a autoconsciência (corporal, psíquica e mental), a identificação à essência e beleza interna e externa feminina e o contato com nosso ventre e seu poder criativo, receptivo, nutridor e transformador.

Trabalha-se a reconexão com a mãe terra e à polaridade feminina universal e cósmica (Shakti). Inclui técnicas meditativas de despertar e cura como a visualização diretiva, imaginação ativa, mantras e sons, visualizações de despertar e cura com o objetivo de reconectar e integrar a mulher ao corpo, psique e essência feminina – feminilidade essencial. Shakti Yoga (Dança Yoga Feminina) ou Dança Integrativa Feminina é parte do Caminho Sagrado Feminino, o Programa Prático dos Saberes Ancestrais do Sagrado Feminino. Assim, o curso também possui uma boa parte de todo um cabedal de conhecimentos existentes nos muito antigos círculos de mulheres em diversas partes do planeta, saberes estes que foram ocultados por milênios ou ainda reconfigurados modificando sua essência o que levou a mulher a desconhece-la e desempoderá-la. Este curso não só objetiva harmonia, saúde, autoconhecimento como iniciar e aperfeiçoar o processo de empoderamento feminino, porém focando a autorealização, trabalhando a mulher com base em seu interior, na sua reconexão e integração a sua essência feminina, a terra, ao cosmos, a todos os seres, para que aí sim ela possa ser representante ativa, criativa e efetiva em seus círculos femininos e outros, onde através desta transformação interna, possa realizar transformações no mundo.

Nomenclaturas:

Qoya Tusuy ou Shakti Yoga (também chamada de Shakti Yoga Dance, mas essencialmente Shakti Natya, em sanscrito – sendo Shakti, a Feminilidade essencial, cósmica, terrena, a essência feminina universal e Natya relacionando a Arte do Corpo como Dança-Teatro, que inclui práticas e conceitos do yoga – e Yoga muito é mais que uma prática psico-física, é uma sabedoria, significa união, religação ao verdadeiro Eu)

Dança Integrativa Feminina ou Dança Integrativa Circular Feminina é também Shakti Natya (ou Shakti Yoga Dance), porém significando Shakti Mandala Natya. Sendo Shakti, uma palavra sanscrita que significa é o principio feminino individual ou pessoal, planetário, universal e cósmico. Yoga significa junção, união, integração e Natya arte e expressão corporal, cênica, teatro e, principalmente dança sagrada, Mandala significa circular, porém a dança feminina ascestral, por si só, era circular tridimensional, esférica. A mandala é o símbolo da integração, integração com o seu centro, ou centro origem de tudo, a totalidade, é o símbolo da harmonia, estética, sacralidade. Assim, está prática reconecta (resgata) a mulher a sua feminilidade, ao princípio ou essência de amor, união, receptividade, generosidade, alegria, beleza, harmonia, sabedoria, paz e plenitude.images (6)Entre os benefícios gerais ou efeitos está a flexibilidade física, mental e psíquica, alinhamento postural, consciência corporal e mental (semi-estática* e em movimento), fluidez, coordenação, fortalecimento, resistência,equilíbrio psico-físico, percepção sensorial, criatividade, expressividade, autoestima (autoaceitação), relaxamento pro-ativo, modelagem ou remodelagem ao corpo feminino, integração pessoal e social e muitos outros.As práticas integrativas femininas são base dos Saberes Sagrados e Ancestrais Femininos:Assim, parte das metas, ou seja no nível pessoal ou corporal da mulher, é o  reequilibrio do ciclo hormonal-psíquico (de lunar à venusiano), purificando e reconectando a energia-poder-força ovariana e uterina (transformação da energia essencial em vital e poder mental e consciente), reintegra o poder do coração (da Alma) e do olho interno (chakra frontal e pituitária ) e A integração plena da consciência.Tais práticas devem realinhar, harmonizar, produzir rejuvenescimento, saúde corporal, sexual, emocional e mental, mas a prioridade é a reconexão com a Terra e com o Cósmos, com o nosso propósito superior tanto no nível pessoal como coletivo.

Com isso O CAMINHO SAGRADO FEMININO também tem como metas:

. Reconectar a mulher à Terra, as suas origens e aos planos sutis (outros planos dimensionais) para que ela possa voltar a ser ‘porta voz’ e ‘plasmadora’ dos propósitos superiores de renovação, redimensionamento da Terra e de todos os seus seres,

. Harmonizar e ativar a ‘vibração’ em determinados lugares e, ou por toda a terra (dependendo da orientação da prática) para ajudar a desbloquear a energia criativa, geradora, plasmadora, ancoradora destes lugares (e com as pessoas que ali se encontram). Isto significa também ‘abrir’ ou ‘reconectar’ (reativar) determinados ‘pontos’ da terra que proporcionam nossa relação direta com as Sabedorias e Poderes necessários a realização das missões / propósitos e obras para a formação deste novo ciclo de evolução.

. Integrar a ‘feminilidade sagrada’ (a Shakti em todas os seus aspectos – o poder superior) para se unir e impulsionar a ‘masculinidade sagrada’ (a vontade-propósito superior), ancorarando a nova Consciência (superior) deste novo ciclo evolucional: que une o princípio feminino ao princípio masculino em toda sua luz.

O Caminho Sagrado Feminino é constituído de 3 etapas cíclicas:As Etapas (objetivos):

– PURIFICAÇÃO:. Reconhecendo a própria feminilidade, a conexão com a Terra, com a Natureza, com o próprio ventre. Descondicionamento, libertando-se do convencionalismo. Purificação do ventre (útero) (harmonização principalmente dos níveis físico, etérico, astral)- em conjunto com:. Reintegração da potencia LUNAR e TERRENA. Purificação,  Realinhamento e Reativação de determinados Lugares de Poder. Iniciando práticas meditativas e de visualização ativa de purificação do ventre (útero-ovários) e respiração ovariana e uterina (iniciando pela purificação).

– RECONEXÃO:. Reconexão com nossa Alma (Iniciando Nossa Guia Interior – Shakti Guia ou Atma Shakti) – reconexão ventre – coração (harmonização principalmente dos níveis físico, etérico, astral, mental )- em conjunto com:. Reconexão com a potência VENUSIANA. Reconexão,  Realinhamento e Reativação de determinados Lugares de Poder> ReConsagração à Sacralidade Feminina – Consagração Shakti Guia – Reconectando-se o Caminho Sagrado Feminino – A  Alquimia Feminina Respiração Ovariana e Uterina (respiração alkimica feminina – kundalini shakti yoga) para reconexão ou reintegração de Kundalini Shakti.

– REINTEGRAÇÃO:. Reintegração  coração – olho interno (pituitária). Reintegração completa com nosso Poder Interior (Integração completa com nossa Shakti Guia ou Atma Shakti):  Poder de integração ou  despertar da consciência   – em conjunto com:. Reintegração com a potência Estelar (e outras potências planetárias e ‘estelares’ feminina – Também Chamada de ‘Pleideana’). Alinhamento e Ativação de determinados Lugares de Poder.

* O corpo está em movimento constante mesmo quando estamos parados, pois milhares de micromovimentos internos estão constantemente fluindo mesmo ao dormirmos, mesmo em coma. Assim a vida é movimento, movimento é vida e saber se movimentar é saber viver! Pela Sabedoria Oriental, O Princípio feminino cósmico é substância, é movimento, é a vida manifesta, é o corpo, é o movimento do corpo, o movimento de vida, é a dança, é a dança do cosmos, é a dança da vida!

Anexo: Sobre a Sabedoria Sagrada Feminina – Saberes Ancestrais Femininos: 

Programa:

(As Oficinas acontecem em varias cidades, por favor, entre em contato para informações)

(Para grupos já formados que se interessem, realizamos Intensivões Vivenciais de Dança Integrativa Feminina)

Esta prática também integrada o processo Educação Integrativa Feminina. (Educação aqui é o sentido original do termo vindo do grego ‘educere’, de trazer pra fora, tirar ou fazer emergir de dentro para fora, ou seja, o sentido da conscientização, de se conscientizar de algo que já é sabido em seu interior, apenas ‘esquecido’.)

Detalhes das Práticas: Ver também www.shaktiyoga.org.br – Dança Integrativa Feminina – Yoga Dança Feminina

Comments are closed